27/11/2020

Departamento de Saúde Pública lança agenda sobre estratégias de prevenção do vírus HIV

Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI)

O Departamento de Saúde Pública (DSP) da UFMA lança a “Agenda positHIVa para gestores da saúde”, de forma virtual, no dia 01 de dezembro, às 10h, alusiva à abertura do dezembro vermelho.

Com o apoio do COSEMS/MA, SES/MA e Ministério da Saúde, a agenda objetiva divulgar aos gestores de saúde, um conjunto de estratégias sobre a necessidade de ampliação das ações para prevenção e controle do HIV, Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST) nos municípios.

O lançamento será transmitido pelo Canal COSEMS/MA no Youtube.

SÃO LUÍS – O Departamento de Saúde Pública (DSP) da UFMA, vinculado ao Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), lançou a “Agenda positHIVa para gestores da saúde”, de autoria da professora e coordenadora geral da Liga Acadêmica de AIDS e IST’s (Laais), Silvia Viana. O objetivo é divulgar para gestores de saúde um conjunto de estratégias sobre a necessidade de ampliação das ações para prevenção e controle do HIV, Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST) nos municípios.

A agenda apresenta também um conjunto de diretrizes prioritárias de modo a permitir o estabelecimento e a definição de metas a serem pactuadas para uma programação e um planejamento mais eficiente na execução de ações, visando alcançar prevenção e controle das infecções sexualmente transmissíveis (IST), além de apresentar propostas efetivas voltadas às populações em situação de maior vulnerabilidade ao HIV em cada território. O público-alvo da agenda são gestores de saúde, em especial, dos municípios maranhenses, e a comunidade em geral.

De acordo com a agenda, o Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI), adotou uma agenda estratégica, com uma matriz programática voltada às chamadas “populações-chave”, que são as pessoas atingidas desproporcionalmente e desigualmente em comparação à população em geral, tanto do ponto de vista epidemiológico quanto em relação ao acesso à saúde, para que, em articulação com estados, municípios e com a sociedade civil, consiga ampliar o acesso dessas pessoas às ações de prevenção e cuidado integral às doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Acesse a  “Agenda positHIVa para gestores da saúde”.

 

Fonte: Ascom-UFMA