06/10/2018

Ensino a Distância na formação de enfermagem é discutido em São Luís

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e o Conselho Regional

Foto/Divulgação: João Marcos Maciel

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e o Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA) realizaram, na última quinta-feira (04), uma plenária pública sobre o Ensino a Distância (EaD). Com a presença de acadêmicos e profissionais de Enfermagem do estado, a plenária aconteceu no auditório Deputado Pedro Neiva Moreira, na Assembleia Legislativa do Maranhão, em São Luís.

A audiência que teve como objetivo discutir sobre os riscos trazidos pela Educação à Distância, principalmente no âmbito da saúde, foi presidida pela coordenadora da câmara técnica de educação e pesquisa do Cofen, Dorisdaia Humerez, que enfatizou que o Cofen juntamente com todos os Conselhos Regionais, não aprovam a decisão do Ministério da Educação (MEC). “A Enfermagem exige habilidades teórico-práticas e relacionais que não podem ser desenvolvidas sem contato direto com professores, pacientes e equipamentos de Saúde. O enfermeiro é que define como serão feitos os procedimentos, se ele erra uma medicação, por exemplo ele pode matar o paciente. E é essa a nossa preocupação”, explica Dorisdaia.

A vice-presidente do Conselho Federal de Enfermagem, Nádia Ramalho, explicou sobre a dúvida da qualidade dos profissionais formados à distância, que atuam e irão atuar no mercado. “Não é possível formar um enfermeiro à distância. É preciso o contato com o professor, ele precisa de laboratório, e vivenciar o espaço acadêmico. Cabe aos conselhos registrar o profissional, e apurar, abrir sindicância, para os possíveis danos causados à população”.

Foto/Divulgação: João Marcos Maciel

O Conselho Federal, atua de forma intensa para que a decisão do MEC, seja anulada. Já foram disponibilizadas 78 mil vagas para o ensino à distância no curso de enfermagem. E por isso vem realizando audiências públicas em todos os estados do Brasil, além de campanhas de esclarecimento e atuação junto ao Ministério da Educação (MEC) e o Congresso Nacional, apoiando o Projeto de Lei 2891/2015, do deputado Orlando Silva, que exige formação presencial para os profissionais da área de Enfermagem.

O presidente interino do Coren-MA, Jamson Oliveira, reverberou que a audiência pública teve o objetivo de alertar à população e ao futuro profissional de enfermagem formado por curso EAD. “A audiência pública, busca somar forças para que a decisão do MEC seja revista. Os Conselhos Regionais e o Federal, se posicionam veemente contra o ensino à distância”, afirma Jamson.

A audiência pública sobre o ensino à distância foi transmitida ao vivo pelo Facebook do Cofen, e todas as perguntas enviadas pela internet forma respondidas ao vivo.

Assine o abaixo-assinado e participe da campanha em defesa do ensino presencial de Enfermagem.