08/02/2019

Coren-MA participa de solenidade aos 365 dias sem morte materna em Balsas

Morte materna é o óbito de uma mulher durante a gestação ou até 42 dias após o término

“É a primeira vez em 20 anos que o Hospital Regional de Balsas conquista essa marca histórica. É um saldo positivo que impacta na saúde do estado, e até na saúde mundial. O trabalho da enfermagem foi determinante nesse resultado para a região de Balsas. A enfermagem transformou a história de mortalidade em uma história de comemoração de vidas”, afirmou em solenidade o presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão, Jamson Oliveira.

O resultado positivo na região foi alcançado após a adoção de estratégias e ações voltadas para a qualidade de vida da mulher, pré-natal, parto e puerpério, como a inauguração do Hospital Regional de Balsas, do Centro Sentinela de Planejamento Reprodutivo e a Planificação da Saúde. Um trabalho em parceria entre Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Prefeitura Municipal, Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS) e Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

“Dar cuidado, atenção e carinho, tratar os usuários do SUS como se deve, sem distinções é uma meta da SES. Quando inauguramos o hospital, tínhamos o desafio de fazê-lo modelo de assistência para o estado. Pois bem, hoje somos procurados por outros estados para saber como a política de saúde na região funciona e como conseguimos essa marca histórica. Os resultados são frutos de uma grande parceria entre Estado, municípios, Conass, Opas/OMS e os profissionais de saúde, que entenderam que saúde se faz de forma articulada e com investimentos”, destacou o secretário de Saúde, Carlos Lula.

“É fundamental termos esta união, este compromisso, porque a morte materna é um problema de saúde mundial. É preciso continuar a tratar esse tema como prioritário”, comentou Mônica Iassanã, consultora nacional em saúde sexual, saúde reprodutiva e saúde da mulher da OPAS/OMS, representando na solenidade a representante nacional da OPAS/OMS, Socorro Gross.

Durante a cerimônia, foi apresentada a história da empresária Olívia Dias Ciappina, que no mês de outubro precisou fazer um parto com urgência no Hospital Regional de Balsas e teve de passar por histerectomia, após apresentar uma complicação obstétrica grave associada a um quadro de pré-eclâmpsia. A mãe e filho Enzo Rafael precisaram permanecer na UTI por nove dias.

“Fui trazida para o regional e não se passaram nem 30 minutos entre minha entrada no hospital e no centro cirúrgico. Para mim, o grande diferencial do hospital é o calor humano. São seres humanos cuidando de outros seres humanos. Isso fez diferença mediante meu sofrimento. Balsas e região ganhou muito com esse hospital”, comentou Olívia.

Participaram também da solenidade prefeitos, autoridades de municípios da região, entidades de classe e o conselheiro do Coren-MA, Marcus Marinho.

Com informações da Secretaria de Estado de Saúde